Buscar

Há 6 anos no WSJ: Rússia e China fazem acordo de cibersegurança para não se hackearem


MOSCOU - Se a comunidade de inteligência dos EUA acredita que a Rússia representa uma ameaça de espionagem cibernética maior do que a China, o que pensará disso?

A Rússia e a China assinaram um acordo de cibersegurança na sexta-feira, que, segundo especialistas, pode fortalecer os laços da Rússia com o leste e pode se tornar uma base para laços de cibersegurança no futuro.


De acordo com o texto do acordo postado no site do governo russo na quarta-feira, Rússia e China concordam em não realizar ataques cibernéticos uma contra a outra, bem como neutralizar tecnologias que podem "desestabilizar a atmosfera política interna e socioeconômica". "perturbar a ordem pública" ou "interferir nos assuntos internos do estado".

Os dois países concordaram em trocar informações entre as agências de aplicação da lei, trocar tecnologias e garantir a segurança da infraestrutura de informações, diz o documento.

As sanções ocidentais contra a Rússia por causa da crise na Ucrânia levaram as autoridades russas a reavaliar áreas de dependência crítica da Europa e dos EUA, e cada vez mais se voltaram para o leste.


Os legisladores russos também fizeram campanha por um controle mais rígido da Internet após as revelações do ex-contratante da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Edward Snowden.


Enquanto isso, o presidente Vladimir Putin pediu a transferência de infraestrutura online importante para a Rússia, reclamando publicamente no ano passado que a Internet começou como "um projeto da CIA".


Wall Street Journal



90 visualizações0 comentário