Buscar

Laptop de Pelosi seria vendido à Rússia: FBI prendeu mulher que o roubou na invasão do Capitólio




Riley June Williams foi presa na segunda-feira por violação do Capitólio depois que o FBI recebeu uma denúncia do ex-parceiro de uma mulher

Riley June Williams foi acusada de violar ilegalmente o prédio do Capitólio dos Estados Unidos. Seu ex-parceiro disse que viu uma filmagem dela pegando o laptop de Nancy Pelosi, alegou o FBI. Fotografia: FBI / Reuters


As autoridades federais prenderam uma mulher cujo ex-parceiro romântico disse ter levado um laptop do escritório da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, durante o motim no Capitólio dos Estados Unidos.

Riley June Williams foi presa na segunda-feira, de acordo com um funcionário do departamento de justiça. Ainda não se sabe quando será sua primeira audiência no tribunal. O FBI disse em um mandado de prisão no domingo que Williams não foi acusado de roubo, mas apenas de entrar ilegalmente no Capitólio e de conduta desordeira.

Autoridades do FBI disseram que uma pessoa que ligou dizendo ser ex de Williams disse que amigos dela mostraram a ele um vídeo dela pegando um laptop ou disco rígido do escritório de Pelosi. A pessoa que ligou alegou que ela pretendia enviar o dispositivo para um amigo na Rússia que planejava vendê-lo para o serviço de inteligência estrangeira daquele país, mas o plano falhou e ela está com o dispositivo ou o destruiu. O FBI afirma que o assunto continua sob investigação.

O subchefe de gabinete de Pelosi, Drew Hammill, confirmou no dia 8 de janeiro que um laptop foi retirado de uma sala de conferências, mas disse que “era um laptop usado apenas para apresentações”. A mãe de Williams, que mora com ela em Harrisburg, Pensilvânia , disse a repórteres da ITV que sua filha havia se interessado repentinamente pela política do presidente Donald Trump e pelos “fóruns de extrema direita”. O pai dela, que mora em Camp Hill, disse à polícia local que ele e sua filha foram a Washington no dia do protesto, mas não ficaram juntos, se encontrando mais tarde para voltar a Harrisburg, disse o FBI.

A mãe de Williams disse à polícia local que sua filha fez as malas e saiu antes de ser presa, dizendo que ficaria fora por algumas semanas. Ela também mudou seu número de telefone e excluiu várias contas de mídia social, disse o FBI. Os documentos judiciais não listam um advogado para ela.


The Guardian

66 visualizações1 comentário

Receba nossas atualizações