Buscar

Marinha dos EUA aos russos: 'Não reconhecemos suas fronteiras'

Marinha dos EUA depois que a Rússia interrompeu a passagem de navio de guerra: 'Não reconhecemos suas fronteiras'

BEIRUTE, LÍBANO - A 7ª Frota americana anunciou que Washington não reconhece as fronteiras marítimas russas no Golfo de Pedro, o Grande, no Mar do Japão, próximo à cidade de Vladivostok, depois que um destróier americano as violou fronteiras hoje.

Isso veio em resposta ao anúncio do Ministério da Defesa russo de que o navio anti-submarino “Admiral Vinogradov” impediu o destroier americano “John McCain” de violar as fronteiras da Rússia nas águas da Baía Pedro, o Grande, na manhã de terça-feira. O comando da 7ª Frota americana afirmou em comunicado que o contratorpedeiro John McCain estava realizando uma operação para garantir a liberdade de navegação na Baía de Pedro, o Grande.

Eles acrescentaram: “Ao implementar este processo para garantir a liberdade de navegação, os Estados Unidos demonstraram que essas águas não são o mar territorial da Rússia, e que os Estados Unidos não concordam com a declaração da Rússia de que a Baía de Pedro, o Grande é uma baía histórica, de acordo com o direito internacional. ”

O comunicado afirmava que o sistema, segundo o qual a baía é considerada parte das águas territoriais russas, foi declarado pelas autoridades da União Soviética em 1984. É relatado que a área de responsabilidade da Sétima Frota dos EUA inclui o oeste do Pacífico e o leste do Oceano Índico.


Deve-se notar que esse incidente remonta à situação do destroier americano USS John McCain ter se recusado a obedecer ordens dos militares russos e, portanto, um navio de guerra russo foi enviado para interceptar o navio de guerra americano, o que os obrigou americanos, sob ameaça de armas, a seguirem o curso oposto.


108 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações