Buscar

O imperialismo é bipartidário: Biden reconhece Juan Guaidó como presidente da Venezuela



O governo Biden continuará a reconhecer Juan Guaido como presidente da Venezuela e manterá sanções devastadoras. Para os venezuelanos, não há mal menor - o imperialismo é bipartidário. *** Anthony Blinken, indicado pelo presidente eleito Joe Biden para secretário de Estado, anunciou que o próximo governo continuará a reconhecer Juan Guaido como presidente da Venezuela. Ele fez os comentários na terça-feira, acrescentando que Biden também continuaria com as sanções ao país, mas as direcionaria "de forma mais eficaz". Essas ações fazem parte do esforço contínuo dos Estados Unidos para destituir o presidente Nicolas Maduro.

Em janeiro de 2019, o governo de Donald Trump , apoiado pelo presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, tentou um golpe militar contra o governo Maduro. O plano, orquestrado por Mike Pompeo e Elliot Abrahams , era instalar o líder da oposição de direita Juan Guaido como presidente da Venezuela.

Poucos dias após a tentativa fracassada de golpe, dezenas de milhares se mobilizaram em Caracas para assistir Guaido tomar posse como presidente interino. Guaido argumentou que as eleições de 2018, que viram Maduro eleito para um segundo mandato de seis anos, foram inconstitucionais e ilegítimas. Ele prosseguiu dizendo que usaria “todo o peso do poder econômico e diplomático dos Estados Unidos para pressionar pela restauração da democracia venezuelana”, alheio à ironia macabra de sua declaração. Além do golpe fracassado, a Venezuela foi submetida a cruéis sanções e bloqueios econômicos dos EUA, mesmo em meio à pandemia do coronavírus . Essas medidas, junto com a gestão desastrosa do presidente Maduro, tiveram consequências devastadoras para os venezuelanos.

O reconhecimento de Guaido por Biden como presidente da Venezuela demonstra que essas políticas imperialistas agressivas continuarão sob seu governo. Mesmo durante a campanha presidencial, ele frequentemente buscou flanquear Trump pela direita com chauvinismo anti-venezuelano , referindo-se a Maduro como um “bandido” e “ditador” com quem ele seria duro.

O imperialismo é uma questão bipartidária nos Estados Unidos - tanto republicanos quanto democratas ajudaram a fomentar golpes militares e instalar governos alinhados aos interesses dos Estados Unidos para saquear os recursos da América Latina. Para as massas da região, não há mal menor.

Como pode o regime bipartidário falar em restaurar a democracia para justificar intervenções militares, golpes e mudanças de regime quando o declínio da democracia dos Estados Unidos foi exposto pelo ataque ao Capitólio e pela profunda deslegitimação das instituições americanas?

Os socialistas devem ser antiimperialistas. A esquerda nos Estados Unidos tem a obrigação de organizar a luta contra o governo Biden com uma perspectiva antiimperialista e de denunciar as tentativas de golpe, sanções e bloqueios econômicos contra a Venezuela, Cuba e o resto da América Latina. * Nota aos leitores: por favor, clique nos botões de compartilhamento acima ou abaixo. Encaminhe este artigo para suas listas de e-mail. Crosspost em seu blog, fóruns na Internet. etc. Otto é aluno de doutorado em psicologia na cidade de Nova York e ex-professor de inglês. A imagem apresentada é da Left Voice Relacionados

A fonte original deste artigo é Left Voice Copyright © Otto Fars , Left Voice , 2021

41 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações