Buscar

Sarcasmo político: Houthis do Iêmen se oferecem para proteger portos sauditas que eles mesmos atacam


Uma foto de arquivo do petroleiro BW Rhine

Na sequência de uma explosão em um terminal de transporte de combustível saudita, um alto funcionário iemenita amontoou forte sarcasmo sobre o reino por sua falha em proteger seus portos, dizendo que o Iêmen, se solicitado, pode considerar ajudar a protegê-los.

Mohammed Ali al-Houthi, presidente do Comitê Revolucionário Supremo do Iêmen, fez os comentários em uma postagem em sua conta no Twitter na segunda-feira, depois que a Arábia Saudita disse que um navio de transporte de combustível ancorado em um terminal de Jeddah foi atingido por um barco carregado de explosivos.

O ataque resultou em um pequeno incêndio que foi extinto, mas não houve danos nas instalações de descarga nem qualquer efeito no abastecimento, segundo o porta-voz do Ministério de Energia da Arábia Saudita.

“Esses atos de terrorismo e vandalismo, dirigidos contra instalações vitais, vão além do reino e suas instalações vitais, para a segurança e estabilidade do fornecimento de energia para o mundo e a economia global”, acrescentou o ministério.

Jeddah - a segunda maior cidade saudita - é o lar de um importante porto e centro de distribuição do Mar Vermelho para a gigante do petróleo Saudi Aramco.

Reagindo à explosão, Houthi disse que o que o regime saudita chamou de ataque "terrorista" era a prova do fracasso dos EUA e do Reino Unido em proteger o reino saudita. Ele disse em tom sarcástico que os iemenitas podem considerar ajudar a proteger os portos sauditas, se solicitados.

“A organização militar e de segurança iemenita tem muita experiência no enfrentamento do terrorismo americano e suas ramificações”, acrescentou.

A empresa de navegação Hafnia, sediada em Cingapura, disse na segunda-feira que houve uma explosão e um incêndio enquanto seu petroleiro, o BW Rhine, descarregava no porto de Jeddah.

A tripulação do navio apagou o fogo e ninguém ficou ferido, disse, acrescentando que partes do casco do navio foram danificadas. “A BW Rhine foi atingida por uma fonte externa durante uma descarga em Jeddah, Arábia Saudita, aproximadamente às 00h40, hora local, em 14 de dezembro de 2020, causando uma explosão e o subsequente incêndio a bordo”, declarou a Hafnia em um comunicado em seu site.

Entenda o assunto

A Arábia Saudita lançou uma agressão militar devastadora contra o Iêmen em março de 2015, em colaboração com vários de seus estados aliados e com o apoio de armas dos EUA e de vários países ocidentais.

O objetivo era retornar ao poder um antigo regime apoiado por Riade e derrotar o movimento Houthi Ansarullah, que assumiu o controle dos assuntos do Estado.

A guerra não atingiu seus objetivos, mas matou dezenas de milhares de iemenitas inocentes e destruiu a infraestrutura empobrecida do país. A ONU refere-se à situação no Iêmen como a pior crise humanitária do mundo.


Presstv


68 visualizações0 comentário